Banco Votorantim

Em um ano marcado pela recuperação gradual da economia em ritmo abaixo do esperado, ainda com incertezas na política interna e no cenário global, o principal negócio do Banco Votorantim (BV), o crédito ao consumo de pessoas físicas, apresentou retomada, especialmente no segundo semestre: o volume de originação de financiamentos de veículos cresceu 8,2% em relação a 2017, e somou R$ 17,0 bilhões em 2018, sendo 89% referente a veículos leves usados, segmento no qual o BV possui histórico de liderança e reconhecida competência. Posicionado como o sexto maior banco privado no Brasil de acordo com o ranking do Banco Central, o BV registrou lucro líquido de R$ 1,1 bilhão ao fim do período, aumento de 82,3% em relação a 2017, também em decorrência do processo evolutivo que vem vivenciando nos últimos três exercícios. Esse processo é impulsionado pelos três pilares estratégicos:

  • Rentabilização dos negócios, que vem sendo contemplada com a gestão adequada das linhas de produto e serviços;

  • Ampliação da eficiência operacional, obtida com a equalização da relação entre despesas e receitas; e

  • Diversificação das fontes de receitas, fortalecida por iniciativas de novos negócios e novas parcerias comerciais.

Desde que iniciou seu processo de transformação digital, em 2014, o BV triplicou os investimentos em tecnologia, aproximando-se, nesse aspecto, dos benchmarks globais da indústria financeira. Ao mesmo tempo, focou na cultura de inovação, reforçando seu propósito de melhorar a experiência do cliente. Nos canais do varejo, por exemplo, as plataformas digitais são acessadas mensalmente por mais de 2 milhões de pessoas. Outros exemplos dessa transformação digital são o início do uso de reconhecimento facial para controle de fraudes; a infraestrutura de micro serviços que possibilitam uma decisão de crédito rápida e eficaz nos canais digitais; e a leitura automática de pareceres jurídicos, direcionando melhor os esforços nas causas de ações cíveis.

Em 2018, o BV também lançou plataformas de relacionamento. Para os clientes, além de proporcionar uma melhor experiência nas lojas físicas do varejo com um novo layout e ambientação, houve evoluções significativas no aplicativo do cartão de crédito BV, que já conta com acesso recorrente de 70% dos usuários. Além disso, foi desenvolvido um aplicativo para facilitar a formalização de propostas de financiamento de veículos, que já está integrado às plataformas da força comercial e disponível para 100% das aproximadamente 18 mil revendas multimarcas com as quais o BV mantém relacionamento. Como resultado desse investimento, houve redução de 35% no tempo médio de cadastro de uma proposta pelos lojistas.

A revisão da cultura organizacional tem o mesmo propósito. A partir da atuação das equipes, semelhante às de startups, com maior grau de autonomia, as decisões tornam-se mais ágeis e assertivas, com a oferta de novos serviços, apuração de seus resultados em termos de escala, ajustes e entrega, em ciclos mais curtos e com governança eficaz e preestabelecida. O trabalho de reposicionamento de marca complementa a conquista de maior confiabilidade por parte do cliente, que pode diversificar suas operações com a instituição.

O olhar atento à inovação contempla também soluções externas. O BV firmou diversas parcerias em 2018, com o intuito de estimular a estratégia de diversificação de negócios e transformação digital, e oferecer acesso a crédito para parcelar procedimentos de saúde e bem-estar. No segundo semestre, foi criado um fundo de investimentos em participações que permitirá ao BV investir diretamente em startups que julgar promissoras. Nesse sentido, foi fechado um acordo com uma fintech de inteligência artificial para antecipação de recebíveis, ampliando a presença do BV no segmento de pequenas e médias empresas com foco em financiar a cadeia de fornecedores da carteira de clientes do Atacado.

O BV também inaugurou seu Laboratório de Inovação (BV Lab), criando um ambiente de conexão com startups capazes de dotar tecnologia e ter o banco como cliente ou levar para a instituição parcerias de negócios. A nova estrutura absorveu o Centro de Excelência de Design e Experiência do Cliente, de forma a assegurar que boa parte do que o BV busca, em inovação de fora para dentro, esteja conectada ao objetivo de melhorar a experiência do cliente.

Todos os avanços internos refletiram nas operações, cuja diversificação, iniciada no ano anterior, produziu resultados efetivos em 2018. No crédito estudantil, o Banco ultrapassou a marca de 4 mil clientes, praticamente dobrando as operações do primeiro para o segundo semestre. Em relação ao financiamento de soluções de energia solar, também na comparação entre os dois semestres do ano, os negócios foram quintuplicados e estima-se que, no próximo exercício, esse ritmo de expansão seja mantido.